‘Não sou capacha de ninguém e exijo respeito’, dispara Natália de Menudo à direção do PSB

A vereadora Natália de Menudo (PSB) reivindicou o cumprimento de acordo para ocupar a vaga de primeira vice-presidente da Comissão Executiva da Casa

A vereadora Natália de Menudo (PSB) reivindicou o cumprimento de acordo para ocupar a vaga de primeira vice-presidente da Comissão Executiva da Casa    Foto: Divulgação/Câmara do Recife

vereadora Natália de Menudo (PSB) reivindicou o cumprimento de acordo que, segundo ela, havia sido firmado para que ocupasse a vaga de primeira vice-presidente da Comissão Executiva da Casa. Ela leu uma nota na Tribuna da Câmara do Recife nesta quarta-feira (31) contestando a eleição da chapa para o biênio 2019/2020, que se dará nesta quinta (01), às 10h, no Plenário da Casa José Mariano.

“É inaceitável que os acordos de composição sejam feitos de forma obscura e tenham o cumprimento dos acordos aprovados tacitamente e fielmente aceitos por todos”, contesta. “Refiro-me aqui, senhores vereadores, ao acordo feito entre o partido e parlamentares desta casa, no sentido de que a composição de cargos da comissão executiva contemplam os parlamentares da casa, por meio de um rodízio previamente acordado, o que não foi feito até o momento”, criticou.

Natália revelou que em conversa com o presidente estadual do PSB, Sileno Guedes ele teria informado que o partido estaria de acordo com seu nome para a disputa pela primeira vice-presidência da casa. Porém, Sileno teria dito que se tratava de uma conveniência do presidente, o vereador Eduardo Marques. E que o presidente informou que essa decisão, dependia da direção do partido.

“Sinto-me desrespeitada. Tanto pelo partido como por alguns vereadores que promovem toda essa desarticulação, exijo respeito, pois sou uma vereadora que tem lutado em favor de um protagonismo político do PSB, juntamente com meu pai que é militante histórico do partido. Esses gestos obscuros só servem para minimizar a necessária articulação política em demonstrar falta de comando, sobretudo porque vem descumprindo acordos previamente firmados”, disparou a vereadora.

“Não sou capacha de ninguém e exijo respeito”. Não admito a forma como estão me tratando e conduzindo o processo de composição da nova comissão executiva. Tenho coragem o suficiente para bater chapa e me contrapor a essa possível chapa espúria, que se forma nos bastidores dessa casa”, avisou.

Natália anunciou, ainda, sua candidatura a primeira vice-presidência, contrariando a definição do partido por Carlos Gueiros. “Diante da omissão do partido, e de alguns membros que fogem de uma discussão cristalina, verdadeira e olho no olho. Exijo também, saber porque de um interesse na manutenção do nome do vereador Carlos Gueiros, que já ocupou tal cargo na mesa”, questionou.

Segundo Natália, o vereador Aderaldo Pinto (PSB) retirou seu nome por ter convicção que seria injusto pleitear a ocupação do cargo ferindo um acordo anteriormente firmado. “Estou na disputa a lutar até o último instante. E coloco-me na disputa para quebrar os estigmas criados pela ambição e pelo corporativismo criado por alguns membros desta casa, e desde já, eu peço, a compreensão aos pares desta casa. E vai ter, sim, uma candidatura de uma mulher, vai ter sim, uma candidatura de uma jovem, porque como diz minha amiga de partido e deputada do PSB ‘lugar de mulher é onde ela quiser’. Então mesmo que eu tenha apenas o meu voto, esse meu voto será de protesto”, finalizou.

A cada dois anos a Comissão Executiva se renova através de eleição entre os parlamentares, que pode se dar com ou sem disputa de chapas. O presidente da Casavereador Eduardo Marques (PSB) informou que as indicações dos nomes se dão pelos partidos que compõem a Câmara, disse ainda que foi oferecido à vereadora a liderança do PSB, maior bancada da Casa.

Fonte: Blog da Folha  *Com informações de Anna Tenório, da editoria de Política.

Deixe uma resposta