Fachin abre inquérito contra Ciro Nogueira, Edinho e executivos da J&F

PGR quer apurar suposta propina para PP apoiar PT em 2014 e para não apoiar impeachment

Fachin abre inquérito contra Ciro Nogueira, Edinho e executivos da J&F

Oministro Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, autorizou inquérito para investigar o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI); o ex-ministro e atual prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT); e os executivos da J&F Joesley Batista e Ricardo Saud.

Segundo informações da TV Globo, Fachin atendeu a pedido da Procuradoria Geral da República, que quer apurar o envolvimento dos quatro em crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

A PGR afirmou que o objetivo é investigar suposto pagamento de propina ao senador em 2014, para que o partido apoiasse o PT, e em 2017, para que o PP não apoiasse o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Segundo Joesley e Saud, o PP recebeu em 2014 valores para integrar a coligação do PT nas eleições. O dinheiro teria sido repassado por meio de doações eleitorais oficiais ao PP, além de R$ 2,5 milhões em dinheiro, por meio de um supermercado do Piauí. O valor total repassado teria sido R$ 43 milhões. De acordo com as delações, Edinho Silva aprovava os pedidos.

“O objeto desta investigação abrange, repiso, supostos pagamentos de vantagens indevidas pelo Grupo J&F, no interesse do Partido dos Trabalhadores (PT), no contexto das eleições de 2014 e do impeachment da então Presidente Dilma Rousseff, em contrapartida ao apoio do Partido Progressista (PP), com a intermediação do Senador da República Ciro Nogueira Lima Filho, fatos que não se relacionam com o que se apura na referida operação de repercussão nacional”, disse Fachin ao autorizar o inquérito.

Deixe uma resposta