Poeta Miró é o destaque do Roda de Conversas

Resultado de imagem para Poeta Miró é o destaque do Roda de Conversas

Neste sábado, 11 de agosto, a Academia Pernambucana de Letras inicia a segunda edição do Projeto Roda de Conversas, que tem como objetivo compartilhar os espaços para discussões literárias com escritores de todo o Estado. O primeiro convidado dessa nova fase é o poeta Miró, que também é o homenageado do Festival Recifense de Literatura – A Letra e a Voz, promovido pela Secretaria de Cultura do Recife. O poeta será entrevistado num bate-papo informal, aberto ao público, que começará às 15h. Ele também fará uma récita com os poemas de sua autoria.

A entrevista de Miró, na verdade, é uma prévia do Festival Recifense de Literatura – A Letra e a Voz, que nesta edição conta com a parceria da Academia Pernambucana de Letra e Universidade Católica de Pernambuco. O Festival Recifense de Literatura – A Letra e a Voz está na 16ª edição e acontecerá entre os dias 24 a 26 de agosto, na Avenida Rio Branco, Bairro do Recife Antigo. A presidente da APL, acadêmica Margarida Cantarelli, convida a população para o Roda de Conversa. “O Roda de Conversa trouxe debates interessantes e que estavam fora da agenda. Esta parceria com o festival é mais uma ação da Academia no sentido de ampliar relacionamento”, disse.

O debate será conduzido pelo acadêmico Cicero Belmar. “Abrir a academia para os debates literários é uma ação que, no primeiro semestre, atraiu muitas pessoas. Tenho certeza de que a parceria com o festival vai trazer bons frutos. Neste semestre, muitos debates interessantes estão programados”, afirmou. Após o debate com Miró haverá distribuição gratuita de livros com os participantes, dentro do conceito de reciclagem no uso das obras.

O 16º Festival Recifense de Literatura – A Letra e a Voz, neste ano,  traz a proposta de discutir as relações entre os escritores e as cidades e como estas influenciam, perpassam e dizem da linguagem dos autores. De como essa relação de tão íntima se torna um corpo único e inseparável nas suas construções textuais.

Para dar mote ao Festival será homenageado o poeta Miró, cuja vida e obra se confundem com as mazelas, as cinzas, as ferrugens, as fumaças, a luzes, as buzinas, os bares e os folguedos do Recife, em um caleidoscópio de metáforas que traduzem a sua “corpoeticidade”!

Com o título A Cidade do Poeta e o Poeta da Cidade o Festival instiga a reflexão em uma programação que pauta oficinas, rodas de conversas, lançamentos de livros, recitais, feira de livros e a poesia de improviso numa mesa de glosa onde os poetas se inspirarão no poema O Cão sem Plumas de João Cabral de Melo Neto. O homenageado abrirá o Festival em um bate papo com a provocação de Sidney Rocha e encerrará o evento dividindo o palco com o músico Amaro Freitas, o DJ e poeta Clécio Rimas e com a vencedora do Slam BR (Campeonato Brasileiro de Poesia Falada), Bell Puã.

A cidade do Recife recebe de presente os textos selecionados para a coletânea Denis Bernardes de Ensaios, lançada durante a festa e que teve a curadoria de Antônio Paulo Rezende, Cícero Belmar e Jorge Siqueira, também participantes do festival.

Deixe uma resposta