Bolsonaro assume a extrema direita e fará contraponto ao Foro de São Paulo

Bolsonaro lidera a Cúpula Conservadora das Américas

Daniela Lima
Folha/Painel

Aliados do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) organizam um evento para expor projetos realizados pela direita em outros países. O ato, chamado de “Cúpula Conservadora das Américas”, está previsto para o dia 28 de julho, em Foz do Iguaçu (PR), e deve contar com participações internacionais. A expectativa é a de que 3.000 pessoas participem do encontro – pensado como um contraponto ao Foro de São Paulo, que reunirá legendas de esquerda, em Cuba, entre os dias 15 e 17 de julho.

O ministro do Trabalho do Chile, Nicolás Díaz, confirmou presença. O filósofo Olavo de Carvalho vai fazer uma participação online direto dos Estados Unidos.

DIREITA EM AÇÃO – A conferência servirá de palanque para o debate de plataformas da direita para economia, segurança, cultura e política. Expoentes da campanha de Bolsonaro, como o economista Paulo Guedes e o general Augusto Heleno, cotado para vice do pré-candidato, também devem se apresentar.

O deputado Fernando Francischini (PSL-PR) diz que no fim do encontro será elaborada uma carta de princípios da direita. “Até porque a ideia é, com a eleição do Bolsonaro, formar um novo eixo político, econômico e cultural na região.”

ALCKMIN E CENTRÃO – Sem lero-lero, o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) foi orientado a ter uma conversa pragmática com os partidos do centrão na quarta-feira (dia 4). Um aliado do tucano afirma que é preciso dar espaço para que o DEM, o PP, o PRB e o Solidariedade exponham seus pleitos de forma clara.

Correndo contra o tempo, integrantes da coordenação política da pré-campanha de Alckmin dizem que, se o encontro não for nesses termos, as chances de sucesso em busca de uma aliança são ainda mais remotas.

CIRO E PSB – Aliados de Márcio França (PSB) dizem que o governador tem dado sinais de que não tem mais argumentos para impedir que o seu partido se alie a Ciro Gomes (PDT) na disputa presidencial.

Além de o PSDB não demonstrar interesse em apoiar candidaturas estaduais do PSB, auxiliares de Alckmin já avisaram França que o tucano não deve participar de seus programas eleitorais.

Deixe uma resposta