No desespero, governo vai dizer nas redes que herdou “batata quente” do PT

Resultado de imagem para TEMER, PADILHA E MOREIRA

A alegria e a animação da “troika” são impressionantes


Andreza Matais
Estadão

No momento em que o presidente Michel Temer enfrenta seu pior índice de rejeição (82%), o governo fará um contra-ataque nas redes sociais para dizer que está tentando resolver problemas que herdou dos governos do PT. Em dez vídeos de um minuto e meio, que começam a ser divulgados nesta segunda-feira, atores contratados pela equipe digital do Planalto dizem que Temer assumiu “a batata quente” e que “na economia não existe solução mágica”. “Temer se colocou como uma ponte para tirar o País da lama e levar para um local legal”, diz uma atriz.

Num dos vídeos, a que a Coluna do Estadão teve acesso, um ator frisa que “Temer encontrou o Brasil com índices de um país em guerra”. E compara: “É como se o presidente estivesse reformando a casa com a pessoa morando dentro”.

CAMINHONEIROS – A greve dos caminhoneiros é um dos assuntos abordados na nova campanha do governo. Vai mostrar que os motoristas não tinham reivindicações atendidas desde 1998, quando fizeram uma grande paralisação.

Um dos vídeos previstos no roteiro era para dizer que a PF tem liberdade para atuar. A gravação, porém, foi suspensa. Desde que assumiu, Temer já substituiu duas vezes o diretor-geral da instituição.

VAGA DE EMBAIXADOR – Com o Supremo derrubando a prerrogativa de foro para tudo quanto é cargo, vagas de chefe de missão diplomática no exterior e de embaixador passaram a ser cobiçadas por políticos. Os ocupantes ainda mantêm o privilégio.

Aliados do presidente Temer voltaram a especular a possibilidade de ele ser nomeado embaixador no exterior no fim do governo justamente para que as investigações contra ele não baixem para a primeira instância.

Deixe uma resposta