Humberto critica pedidos para intervenção militar

Humberto Costa (PT) discursa no Senado.

Humberto Costa (PT) discursa no Senado.Foto: Roberto Stuckert Filho/Divulgação

O senador Humberto Costa (PT) criticou, nesta segunda-feira (4), os pedidos de destituição do governo civil feitos por a quem ele chamou de “fanáticos alienados” e afirmou que “a burrice e a incompetência do Governo Temer são responsáveis por levar o Brasil a esse caos”. O petista ainda defendeu intenso diálogo com a sociedade, principalmente com os mais jovens, para evitar que apoiem a voltado País “ao seu mais tenebroso período da história”.

Para Humberto Costa, a tibieza e a falta de pulso de Michel Temer (MDB) para resolver, com a urgência devida, os problemas do Brasil levaram a população a uma imensa descrença nas instituições e abriu espaço para que alguns grupos defendam a volta dos militares.

Ele também citou a greve dos caminhoneiros e afirmou que a fraqueza do governo diante do episódio fez com que quase 92% dos brasileiros, de acordo com pesquisa, passassem a ter uma percepção negativa do País. “É o descrédito completo a que esse governo aparvalhado tem levado o País, fazendo com que a própria confiança da população seja tragada por esse sentimento de caos em que fomos metidos por esse fracassado presidente golpista”, disse o parlamentar.

O senador declarou que é inaceitável e criminosa a postura de propor a derrubada de um governo civil e um flagrante desrespeito à Constituição e a outras leis que proíbem esse tipo de manifestação. “O Poder Executivo, a Polícia Federal e Ministério Público têm de agir de forma severa para coibir esse tipo de abuso. É importante porque fazer propagação de derrubada do regime democrático é um crime que não pode ser tolerado”, ressaltou.

Na avaliação do parlamentar, alguns poucos jovens defendem a tese porque não viveram o que era uma ditadura. Humberto lembrou que havia corrupção naquele período, mas que ela era escondida, e que a censura começaria na internet e nas redes sociais, com a decretação do fim da liberdade de expressão.

“Todo o conteúdo, que hoje é livre, seria derrubado. Pessoas que externassem opiniões contrárias à ditadura, ou mesmo a seus costumes, seriam perseguidas e presas. Não poderiam nem ir para a rua defender qualquer que fosse a ideia”, observou.

O senador do PT disse entender que Temer tem o dever de dar uma solução definitiva para a questão dos combustíveis e evitar que o País rume, mais uma vez, para o caos, cujas consequências finais são inimagináveis. “A quatro meses da eleição, o Brasil não pode ser jogado num movediço terreno de incertezas pela irresponsabilidade de um governo incompetente e atrapalhado”, comentou.

Humberto ainda defendeu, no discurso, a realização de eleições diretas e livres, mas, para isso, declarou ser urgente o governo agir para assegurar a paz social e colocar o País minimamente nos trilhos

Blog da Folha

Deixe uma resposta