Sistema tributário está na UTI, em estado terminal, só falta desligar os aparelhos

Resultado de imagem para sistema tributário charges

Charge do Pelicano (Arquivo Google)

Geraldo Wetzel Neto
Estadão

Complexidade, burocracia e um eterno duelo entre mocinho (o Estado) e bandido (o contribuinte), eis o resumo do nosso sistema tributário. Atualmente está na UTI, com morte cerebral. Só falta desligar os aparelhos. Apenas a família do paciente (leia-se: nossos governantes) ainda não percebeu isso e acredita na sua recuperação.

É justamente este sistema ineficiente e moribundo o responsável por ostentarmos um dos maiores preços de combustíveis do planeta. Mas não é o único.

IMPACTOS EXTERNOS – A Petrobrás, como empresa estatal, pode (e deve) contribuir para atenuar impactos externos, como a alta do preço do barril ou do dólar. Como exemplo, a adoção de um sistema de banda de preços ou praticar o reajuste dos preços em períodos determinados. Cabe salientar que a flutuação de preços é importante, pois o contrário disso resulta em controle político dos preços, inclusive com fins eleitorais.

Crises internacionais já foram responsáveis por altas históricas no preço dos combustíveis em todo mundo. Nos EUA, o preço da gasolina que historicamente gira em torno de 2 dólares o galão, atingiu 4 dólares em setembro de 2008. Um ano depois voltou ao patamar de 2 dólares e atualmente está próximo de 3 dólares.

LUCRATIVIDADE – Além disso, é importante destacar o lucro apurado pela empresa desde a adoção do sistema flutuante de preços. Qual a lucratividade almejada pela empresa a partir da qual foi determinado o preço flutuante dos combustíveis? A determinação de uma lucratividade menor certamente seria importante fator de redução no preço dos combustíveis.

Porém, a grande dificuldade no momento é lidar com a alta carga tributária incidente sobre os combustíveis, sem arruinar ainda mais as finanças da União, Estados e Municípios. Uma solução rápida como a pretendida por caminhoneiros e recepcionada pelo Congresso com fins puramente eleitorais só irá piorar nossos problemas.

Uma solução perene passa pela reconstrução do nosso país. Passa pela diminuição do aparato estatal, da corrupção e dos privilégios, reforma da previdência, especialmente no serviço público e reforma tributária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.