Jacob do Bandolim, mestre do choro, nasceu há 100 anos

Nesta quarta-feira (14), faz 100 anos que nasceu Jacob do Bandolim.

Jacob Pick Bittencourt era seu nome de batismo.

A trajetória desse músico confirmou que a incorporação do nome do instrumento ao seu nome artístico fez justiça tanto a Jacob quanto ao bandolim.

Jacob é um dos grandes nomes da música popular que os brasileiros produziram ao longo do século XX.

Mestre absoluto de um gênero – o choro – e do instrumento que, nas suas mãos, ganhou um modo brasileiro de ser tocado.

Não foi somente um grande instrumentista, também um autor de joias como AssanhadoDoce de CocoNoites Cariocas e Vibrações.

Jacob do Bandolim e seu conjunto – o Época de Ouro – estão perfeitos nesse disco que considero imprescindível: Vibrações.

Jacob do Bandolim morreu em 1969. Tinha apenas 51 anos.

A ele, seu filho Sérgio Bittencourt dedicou Naquela Mesa, imortalizada por Elizeth Cardoso.

NAQUELA MESA | Sérgio Bittencourt &

Elizeth Cardoso

Eis em ordem alfabética, no dia em que se comemora o centenário de nascimento desse gênio, ás do bandolim, 100 músicas compostas por Jacob que ganharam registros fonográficos entre 1938 e 2007:

1. A ginga do Mané (1962)

2. Adylia (2007 – lançamento póstumo em disco)

3. Alvorada (1955)

4. Ao som dos violões (1980 – lançamento póstumo em disco)

5. Assanhado (1961)

6. Baboseira (1979 – lançamento póstumo em disco)

7. Benzinho (1955)

8. Biruta (1952)

9. Bisbilhoteiro (2007 – lançamento póstumo em disco)

10. Boas vidas (1980 – lançamento póstumo em disco)

11. Bola preta (1954)

12. Bole bole (1951)

13. Bonicrates de muletas (1950, parceria com Biliano de Oliveira)

14. Buscapé (1956)

15. Cabuloso (1949)

16. Carícia (1956)

17. Chorinho na praia (1980 – lançamento póstumo em disco)

18. Choro de varanda (1950)

19. Chuva (1980 – lançamento póstumo em disco)

20. Ciumento (1955)

21. Cristal (1951)

22. De coração a coração (1970 – lançamento póstumo em disco)

23. De Limoeiro a Mossoró (1956)

24. Diabinho maluco (1956)

25. Doce de coco (1951)

26. Dolente (1949)

27. Encantamento (1950)

28. Entre mil…você! (1953)

29. Eu e você (1952)

30. Falta-me você (1962)

31. Feia (1948)

32. Feitiço (1954)

33. Foi numa festa (1968)

34. Forró de gala (1952)

35. Gostosinho (1952)

36. Heroica (1980 – lançamento póstumo em disco)

37. Horas vagas (1980 – lançamento póstumo em disco)

38. Implicante (1958)

39. Inocência (1968, parceria com Luis Bittencourt)

40. Isto é nosso (1957)

41. Já que não toco violão (2007 – lançamento póstumo em disco)

42. Jamais (1968, parceria com Luis Bittencourt)

43. La duchesse (1970 – lançamento póstumo em disco)

44. Lembranças (2007 – lançamento póstumo em disco)

45. Mágoas (1958)

46. Maroto (2007 – lançamento póstumo em disco)

47. Maxixe na tuba (2007 – lançamento póstumo em disco)

48. Meu lamento (1955, parceria com Ataulfo Alves)

49. Meu segredo (1955)

50. Mexidinha (1950)

51. Migalhas de amor (1952)

52. Mimosa (1955)

53. Nego frajola (1955)

54. No jardim (1992 – lançamento póstumo em disco)

55. Noites cariocas (1957)

56. Noites dos reis (1987 – lançamento póstumo em disco)

57. Nosso romance (1953)

58. Nostalgia (1951)

59. Novos tempos (2007 – lançamento póstumo em disco)

60. O siri está no pau (1993 – lançamento póstumo em disco)

61. O voo da mosca (1962)

62. Orgulhoso (1980 – lançamento póstumo em disco)

63. Pra eu ser feliz (2007 – lançamento póstumo em disco)

64. Pateck Cebola (1980 – lançamento póstumo em disco)

65. Pé-de-moleque (1950)

66. Pérolas (1967)

67. Por que sonhar? (1953)

68. Pra você (1970 – lançamento póstumo em disco)

69. Preciosa (2007 – lançamento póstumo em disco)

70. Primas e bordões (1974 – lançamento póstumo em disco)

71. Primavera (2007 – lançamento póstumo em disco)

72. Quebrando gelo (1980 – lançamento póstumo em disco)

73. Receita de samba (1967)

74. Remelexo (1948)

75. Reminiscências (1953)

76. Rua da Imperatriz (1954)

77. Sai do caminho (1953)

78. Saliente (1954)

79. Salões imperiais (1948)

80. Saltitante (2007 – lançamento póstumo em disco)

81. Santa morena (1954)

82. Sapeca (1953)

83. Sapeca Iaiá (2007 – lançamento póstumo em disco)

84. Saracoteando (1980 – lançamento póstumo em disco)

85. Saudade (1954)

86. Se alguém sofreu (1938)

87. Sempre teu (1955)

88. Sereno (2007 – lançamento póstumo em disco)

89. Simplicidade (1950)

90. Tatibitate (1953)

91. Ternura (1970 – lançamento póstumo em disco)

92. Toca pro pau (1954)

93. Treme-treme (1947)

94. Um bandolim na escola (1962)

95. Vale tudo (1951)

96. Vascaíno (1951)

97. Velhos amigos (2007 – lançamento póstumo em disco)

98. Velhos tempos (1959)

99. Vibrações (1967)

100. Vidinha boa (1954)

Jacob do Bandolim — Luzia no Frevo

Choro e Poesia
Raríssima gravação do frevo “Luzia no Frevo” por Jacob do Bandolim, realizada em 16/09/1968, em sua casa de Jacarepaguá durante o sarau que foi oferecido ao pianista russo Sergei Dorenski. “Quase com certeza a presença do pianista sugeriu a Jacob, ao improvisar, incluir uma longa citação da canção russa “Olhos Negros”, que fez a plateia prorromper em palmas de aplauso.” (Hermínio Bello de Carvalho). “…a extrema criatividade de Jacob na arte do improviso (…), atestando que nem só Bach e os músicos de jazz são mestres nessa arte.” (H.B.C.)

Deixe uma resposta