Deixe um comentário

TCE CEDE GRATUITAMENTE TERRENO PÚBLICO PARA CONSTRUÇÃO DE ENTIDADE PRIVADA E PÕE EM RISCO IMÓVEL DO SÉCULO XIX

IMG_2772.PNG

O Blog recebeu denúncia de que o imóvel situado no número 987, da Rua da Aurora, no tradicional bairro de Santo Amaro e cuja construção dataria do Século XIX, mais precisamente do ano de 1889, segundo pesquisas realizadas pelos arquitetos João Domingues e Carlos Pontual estaria correndo risco de desabamento, em razão da construção de um prédio de dois andares, com previsão de expansão para mais um terceiro, para abrigar o que seria a Associação dos Auditores do Tribunal de Contas de Pernambuco.

IMG_2769.PNG

Segundo a denúncia, o terreno, apesar de ser um bem público, teria sido cedido, sem qualquer ônus, uma entidade privada, por força da Lei Estadual nº 15701 de 21/12/2015.

IMG_2770.PNG

Até recentemente, relatam os denunciantes, que funcionários do TCE utilizavam o terreno apenas como estacionavam no local. Já no imóvel centenário funciona atualmente a ONG Aurora Filmes, que desenvolve um trabalho sociocultural há 11 anos, oferecendo cursos gratuitos na área do audiovisual, proporcionando a formação profissional de jovens de escolas públicas, com objetivo de promover a inserção dos adolescentes no mercado de trabalho, formada por 16 membros, em sua maioria, jornalistas.

IMG_2771.PNG

A doação do terreno para a Associação dos Auditores do TCE teria ocorrido durante a gestão do Conselheiro Valdecir Pascoal.

Segundo fontes ouvidas pelo Blog, a previsão é de que o custo da obra será de R$ 300 mil. A lei de cessão não aponta o interesse público fundamentador da cessão. O projeto da obra é assinado pelo arquiteto Agenor Ribeiro.

Sob condição de anonimato, especialistas consultados pelo Blog revelaram que um pedido de tombamento não poderia ser ignorado pelo IPHAN, para o imóvel localizado ao lado do terreno onde a Associação dos auditores do TCE pretende construir sua portentosa sede, já que além de ser um imóvel datado do Século XIX, sendo temerária a insistência em construir imóvel com potencial para colocá-lo em risco.

Espera-se que a Promotoria de Urbanismo e Defesa do Patrimônio Histórico e Cultural investiguem a fundo o caso, evitando mais danos à nossa já combalida paisagem urbana.

 

fonte:blognoeliabrito

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: