Deixe um comentário

Acusações sobre propina são ‘fantasiosas’, afirma Michel Temer

Acusações sobre propina são 'fantasiosas', afirma Michel Temer

Por Jornal do Brasil

O presidente Michel Temer classificou como “fantasiosas” as acusações de que teria chefiado reunião onde supostamente foi acertado o pagamento de R$ 40 milhões de propina ao PMDB. Em entrevista a emissoras de rádio, nesta segunda-feira (15), Temer ponderou contudo que as declarações feitas em delação premiada pelo ex-executivo da Odebrecht Márcio Faria “pegaram” e que precisam ser apuradas.

“Essa coisa de que sentado em uma cabeceira, fazendo reunião de mafiosos, e R$ 40 milhões? É muita coisa. Realmente, são coisas fantasiosas, mas que pegaram, porque se divulgou muito. Isso tem de ser apurado ao longo do tempo”, disse Temer.

O presidente falou ainda sobre os oito ministros que são alvo de inquéritos no âmbito da Operação Lava Jato. “São da maior suposição administrativa” e de “competência extraordinária”. Temer destacou: “As informações são de uma pessoa que falou com ciclano sobre beltrano. Isso está com a Polícia Federal. Ministério Público e Poder Judiciário.”

O presidente frisou que as acusações contra integrantes do governo não podem paralisar a máquina pública. “Às vezes, me perguntam se não vou paralisar o governo porque João falou de José. Não, não vou. São coisas que competem ao Poder Judiciário”, disse.

Delação

A reunião citada por Márcio Faria na delação ocorreu em 2010. Na época, Temer era deputado federal e candidato a vice-presidente na chapa com Dilma Rousseff. Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves tentavam a  reeleição para a Câmara dos Deputados. Márcio Faria disse que a Odebrecht negociou um valor de R$ 40 milhões para o “projeto voar”, ou seja, sacramentar a participação da empreiteira em empreendimentos da Petrobras.

Segundo Faria, a Odebrecht já oferecia o melhor preço no processo licitatório e os R$ 40 milhões eram para garantir a entrada da empresa no projeto da estatal. A participação do então executivo era para confirmar que a Odebrecht pagaria ao PMDB a quantia informada. “Eu fui lá para abençoar esse compromisso. Eu simplesmente confirmei que honraria os compromissos”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: