Deixe um comentário

BELCHIOR FOI EMBORA E NÓS AINDA SOMOS OS MESMOS

Vem viver comigo, vem correr perigo, vem!

A imagem pode conter: 1 pessoa
Ao olhar para o cantor Belchior a leitura é semprea mesma,  a de um enigma.Transporta em si,  algo de Charles Chaplin em sua alma calada.Transmite uma cena muda em preto e branco.Nele o alvoroço humano se faz através de sua voz única, rasgando fronteiras como um guerreiro a cortar grandres trigais, para semear o pão à humanidade.Tudo em Belchior sangra como se o mundo andasse acidentado e incompreendido.
Escrevia e desenhava em suas letras e canções, a necessidade de toda uma gente solitária e vivia a interagir com o deserto de si mesmo.Belchior era um tímido caminho ardente e sedento por transformações em açoite e grito, dessa espécie de gente solitária,firmemente marcado por uma solidão compartilhada.Quem nele lançasse o olhar enxergava o delírio das metáforas em poesia.
Belchior foi maior de que o soco que esse mundo desumano merecia.Por isso levava dentro de si o aspecto de um domingo plangente e sem voz.
O Poeta não se tratava apenas de um rapaz latino americano, mas de um cidadão do planeta que inteiro sonhava com o amor no amor de uma divina comédia humana.
Belchior foi embora e nós ainda somos os mesmos.
https://youtu.be/94-rOEVnyDg

Belchior – MPB Especial (02/10/1974)

Durante a trabalhosa tentativa de emplacar seu primeiro LP, umas das várias aparições de Belchior foi no programa intimista “MPB Especial”, da TV Cultura, em 02 de Outubro de 1974.
Nele, um Belchior ainda muito novo, aberto e relativamente zangado (como no depoimento ao fim do programa), se apresentava ao público através de um diálogo autobiográfico, provando que o novo sempre vem.
Imagem e som restaurados. 720p e 60fps.
TV Cultura, 1974.
https://youtu.be/4ppq20oqW9c

BELCHIOR – ALUCINAÇÃO (1976) [LP Completo]

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: