Blogueira processada por injúria se diz arrependida de comentário preconceituoso

 

Advogado de Julia Salgueiro diz acreditar em pena alternativa, pois não há antecedentes criminais

Blogueira prestou depoimento na tarde desta segunda-feira, 27. - Foto: Rafael Martins/DP
Blogueira prestou depoimento na tarde desta segunda-feira, 27. – Foto: Rafael Martins/DP

Diario de Pernambuco

A blogueira Julia Salgueiro, que causou uma grande polêmica na semana passada envolvendo comentários preconceituosos em um grupo de mães no Facebook, prestou depoimento na tarde desta segunda-feira, na Delegacia de Casa Amarela. O advogado de Julia Salgueiro, que a acompanhou durante todo o depoimento, informou à imprensa que a dona do blog ModaModaModa disse estar muito arrependida dos comentários feitos na rede social. A blogueira está sendo processada por injúria qualificada. Essa é a primeira vez que Julia fala em arrependimento desde que o caso viralizou.

Ainda segundo o advogado, diferente do que está sendo veículado nas redes sociais, Julia Salgueiro não responde nenhum processo por homofobia. Ele também acredita que ela poderá receber uma pena alternativa, pois não tem antecedentes criminais.

O delegado titular da Delegacia de Casa Amarela, Paulo Rameh, disse que Julia, que estava acompanhando também por sua mãe no local, apresentou documentos comprovando que estaria em tratamento para uma depressão há cerca de seis meses. De acordo com o delegado, a prisão preventiva de Julia será pedida após o encerramente do inquérito, que deve se estender até a próxima sexta-feira.

Entenda o caso 

Na semana em que se comemorou o Dia Internacional da Síndrome de Down, a família de um bebê de 11 meses prestou queixa contra a jornalista e blogueira de moda recifense Júlia Salgueiro por causa de comentários preconceituosos feitos por ela sobre uma foto da criança postada no Facebook.
Foto: Reprodução/Twitter
Foto: Reprodução/Twitter

A foto foi tirada durante evento voltado para crianças com Down e postada pela tia do menino, a jornalista Juliana Preto, na última terça-feira. A blogueira comparou as crianças a filhotes de cachorro e classificou o sexo praticado por pessoas com a síndrome como “nojento”.  A mãe da criança, a advogada Maria Cláudia Albuquerque, 28, e o pai, o empresário Heitor Durval, 25, prestaram queixa na última sexta-feira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.