MEMÓRIA

11202856_1457208494583115_7586536226249684678_n

Em 28 de julho de 1938 foi assassinada Maria Bonita (nasceu em 1911). Chamava-se Maria Gomes de Oliveira e casou-se muito jovem (aos 15 anos) com José Miguel da Silva, sapateiro conhecido como Zé Neném. Não teve filhos porque ele era estéril. E o casamento ia às turras. E conta-se que a cada briga do casal, Maria refugiava-se na casa dos pais; e que foi, exatamente, numa dessas fugas domésticas que ela reencontrou Virgulino, o Lampião, em 1929. Lampião amigo da família Oliveira e visto com respeito e admiração. Um ano depois de conhecer Maria, Lampião chamou a “mulher” para integrar o bando. Nesse momento, Maria Bonita entrou para a história, como a primeira mulher a fazer parte de um grupo do Cangaço. Naquele 18 de julho, na Grota de Angicos (Poço Redondo, Sergipe) o bando de Lampião foi atacado e Maria foi degolada viva ao seu lado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.